Colocação de tubo de ventilação


O que é?

A colocação de tubos de ventilação (carretéis) está indicada quando persiste, apesar do tratamento clínico, perda da audição relacionada à presença de líquido no ouvido médio (=otite média serosa crônica). O tubo de ventilação é posicionado na membrana timpânica e funciona como um dreno que costuma ser eliminado espontaneamente em 3 a 6 meses. O chamado “dreno de demora” persiste por mais tempo.

• Anestesia: geral ou local com sedação.
• Duração: varia de 30 minutos a 1 hora.

Cuidados pré-operatórios

Antes de agendar a cirurgia:
• Cuide da sua saúde: hábitos de vida saudáveis (alimentação balanceada, exercícios físicos regulares, controle doenças crônicas, evite abuso de bebidas alcoólicas ou drogas). Doenças em atividade ou de difícil controle podem contraindicar a cirurgia.
• Todas as medicações usadas rotineiramente devem ser informadas ao médico.
• Realizar exames pré-operatórios e, quando indicada, avaliação cardiológica ou de outros especialistas.

Na semana anterior:
• Evite medicamentos que contenham aspirina (ácido acetilsalicílico) ou Ginkgo biloba pelo menos por 1 semana antes da data marcada e anti-inflamatórios, 3 dias antes.
• Procure ter uma alimentação saudável, evite bebida alcoólica, durma cedo e tome bastante líquido (prefira água).
• Em caso de febre, dor de garganta, tosse ou outros sintomas, avise seu médico imediatamente.
• Caso tenha alguma dúvida procure solucioná-la com seu cirurgião o mais cedo possível!

Na véspera da cirurgia:
• É essencial jejum absoluto (nem água) de cerca de 8 horas antes da hora marcada para a cirurgia mesmo nos casos em que a anestesia seja apenas sedação. Caso tenha consumido algo, o anestesista deverá ser avisado.
• Remova: pêlos faciais (barba, bigode), piercings, brincos, anéis, aliança, esmalte colorido das unhas, etc.

No dia da internação/ cirurgia:
• Compareça ao hospital com antecedência.
• Leve: exames (de sangue, audiometria, tomografias, raio-x, etc); e medicamentos em uso.
• Evite: passar cremes e maquiagem.
• Traga objetos de uso pessoal (escova, pasta, chinelo, roupa para dormir e deixar o hospital); mas evite trazer jóias ou objetos de valor.

O que esperar no pós-operatório

• Nas primeiras horas: sonolência; às vezes, enjoo; raramente vômitos, porém, passageiros.
• Dor: quando presente, é facilmente aliviada por analgésicos comuns.
• Secreção purulenta no ouvido: poderá ocorrer pela entrada de água no ouvido ou após gripes e resfriados e deve haver reavaliação clínica em consultório médico.
• Outras possíveis complicações: permanência de perfuração timpânica, permanência do tubo de ventilação (com necessidade de reintervenção para retirada em alguns casos), otite média crônica; e raramente perda auditiva secundária ao trauma cirúrgico.
• Recidiva: o retorno do acúmulo de líquido sero-mucoso no ouvido médio é possível e pode exigir nova intervenção cirúrgica.

Cuidados pós-operatórios:

• Medicações: serão prescritos essencialmente analgésicos comuns.
• Repouso: atividades escolares e laborativas podem ser retomadas em até 2 dias
• Proteção do ouvido contra a água: durante todo período que o paciente permanecer com o tubo de ventilação, deve-se evitar a entrada de água no canal auditivo (não molhar o ouvido).
• Faça retornos ao consultório do cirurgião regularmente para que a cicatrização seja acompanhada de perto e lembre-se que qualquer sintoma não usual deve ser prontamente reportado ao seu médico.

Ainda com dúvida? Veja se sua pergunta já foi respondida nas PERGUNTAS FREQUENTES.