62 3998-9151 | 3998-9169 62 98309-0027 contato@drajulianaotorrino.com.br
Ouvido

Como diferenciar: Paralisia Facial de Bell e AVC?

Por 4 de outubro de 2017

A Paralisia de Bell é caracterizada pelo súbito enfraquecimento ou paralisia dos músculos de um dos lados do rosto. No entanto, se você notar que parte do seu rosto está parcialmente paralisado, como saber não se tratar de um acidente vascular cerebral (AVC)?

Inicialmente, deve-se saber que a Paralisia de Bell ocorre por uma inflamação de um dos nervos faciais, responsáveis pelos movimentos do nosso rosto. Cada nervo sai do crânio através de um canal ósseo que cruza o ouvido interno e médio de cada lado até sair próximo ao ângulo da mandíbula e se distribuir para o rosto (testa, olhos e boca principalmente). Portanto, quando a causa de uma paralisia no rosto é um problema no nervo facial, todo o lado do rosto fica paralisado por igual. Ou seja, há tanto dificuldade para enrugar a testa e fechar o olho quanto para mexer a boca.

A Paralisia de Bell é o tipo mais comum de paralisia facial periférica. Já no AVC, pode haver a chamada paralisia facial central. Nesse caso, há uma lesão por falta de irrigação sanguínea na parte do cérebro responsável pela movimentação do rosto. Clinicamente a paralisia facial manifestar-se-á apenas como dificuldade de mexer a boca ou sorriso torto. A movimentação da testa e fechar os olhos mantêm-se normais. Além disso, muito provavelmente outros sintomas estarão associados: dormência ou fraqueza em braços ou pernas; dificuldade de enxergar; alteração para andar ou equilibrar-se; confusão mental; dificuldade de fala; etc.

Por que a Paralisia de Bell afeta testa, olho e boca, enquanto uma condição muito mais grave como o AVC só afeta a boca? Há explicação apesar de não ser tão simples de entender. Nosso nervo facial de cada lado recebe ordem para mover a boca apenas de um dos lados do cérebro, enquanto a ordem de mover a testa e fechar os olhos vem dos dois lados do cérebro. Portanto, quando o AVC lesa a região do cérebro responsável por mover o rosto de um dos lados, o outro lado do cérebro ainda envia comandos para haver movimento da testa e olhos, logo, apenas a boca fica paralisada.

A Paralisia de Bell é uma condição com bom prognóstico. Pode ocorrer em qualquer idade e tem uma incidência de 15 a 40 em cada 100 mil indivíduos. Deve ser tratada idealmente em até 10 dias de sua instalação (preferencialmente nos primeiros 2 dias), porém não se trata de uma emergência médica. A consulta com o Otorrinolaringologista é necessária para evitar sequelas funcionais e estéticas, porém os movimentos da face geralmente retornam a partir de 3 semanas da doença.

Por outro lado, o AVC é uma condição com risco de morte e sequelas graves, portanto trata-se de uma emergência médica e a menor suspeita deve levar a um pronto socorro imediatamente.

Deixe seu comentário